SLIDE

Misterioso líquido que parece sangue escorre em geleira na Antártica.


A equipe estudou a cachoeira vermelha no último inverno da Antártica e levou junto o IceMole, uma espécie de caixa com topo de cobre e um parafuso na extremidade, que consegue derreter o gelo

A geleira que sangra

Do alto da geleira Taylor, na Antártida, brota um misterioso líquido vermelho


A cena se encaixaria bem num filme de terror: na distante Terra de Vitória, que fica na porção leste da Antártida (3 500 quilômetros ao sul da Nova Zelândia), existe uma cachoeira de sangue. Do topo de uma geleira, brota um líquido avermelhado e viscoso que escorre lentamente. Matança de animais? Obra de algum fenômeno sobrenatural? 


Em 2004, a equipe do microbiologista Jill Mikucki conseguiu uma amostra da ocorrência e começou uma série de estudos para tentar desvendar o que acontecia no meio das geleiras 

O caso intrigou a bióloga Jill Mikucki, da Universidade Dartmouth, que decidiu recolher e estudar amostras do líquido. "Detectamos 17 espécies de bactérias, mas é provável que haja mais", diz. Segundo ela, essas espécies de bactérias são tão desconhecidas que nem têm nome científico - e só existem nesse lugar, que foi apelidado de Blood Falls ("Queda de Sangue", em inglês). 


O tal sangue é água salgada misturada com óxido de ferro, e é produzido pelas bactérias. Elas vivem embaixo da geleira e se alimentam do ferro contido no solo, e como produto de sua digestão secretam esse líquido que parece sangue (ele tem a cor vermelha porque, como os glóbulos vermelhos do sangue, contém ferro). 

Além de comer pedra, as bactérias de Blood Falls têm outra característica intrigante: são incrivelmente resistentes. Vivem sem luz nenhuma, a 7 graus negativos e suportam uma pressão atmosférica 40 vezes maior que a normal (causada pelo peso da geleira). "Eu compararia esse lago com as calotas polares de Marte", afirma Mikucki

Com o IceMole, a equipe de Mikucki extraiu o líquido que está enterrado nas cataratas e usou termômetros que conseguem perfurar o gelo

R7

0 comentários: