SLIDE

Soja geneticamente modificada Ligada à esterilidade,e a mortalidade infantil em Hamsters

GM Soy Kills Baby Rats in Just Three Weeks, Study Reveals

Este estudo era apenas de rotina", disse o biólogo russo Alexey V. Surov, no que acabar como sendo o eufemismo do século. Surov e seus colegas tentavam descobrir se a soja trangênica (geneticamente modificada) da Monsanto, cultivadas em 91% dos campos de soja americanos (e em 71% da safra brasileira ) levaria a problemas no crescimento e reprodução. O que ele descobriu poderá colocar de cabeça para baixo uma indústria multi-bilionária.
Após a alimentar hamsters por dois anos ao longo de três gerações, aqueles na dieta trangênica, e especialmente o grupo com a dieta com o máximo de soja trangênica, apresentaram resultados devastadores. Até a terceira geração, a maioria dos hamsters alimentados com soja trangênica perdeu a capacidade de ter filhos. Eles também sofreram um crescimento mais lento, e uma alta taxa de mortalidade entre os filhotes.

E se isso não for chocante o suficiente, alguns hamsters na terceira geração ainda tinham cabelo crescendo dentro de suas bocas, um fenômeno raramente visto, mas aparentemente mais prevalentes em hamsters se alimentando de soja trangênica.

O estudo, realizado conjuntamente pelo Instituto Surov de Ecologia e Evolução da Academia Russa de Ciências e a Associação Nacional de Segurança genẽtica, deverá ser publicado em três meses (julho de 2010), de modo que detalhes técnicos terão de esperar. Mas Surov forneceu um esboço em um email (para o autor deste artigo).

Ele usou hamsters Campbell, com uma taxa de reprodução rápida, divididos em 4 grupos. Todos foram alimentados com uma dieta normal, mas um grupo foi sem soja, outro teve soja não-transgênica, um terceiro grupo usou soja transgênica, e um quarto continha quantidades mais elevadas de soja trangênica. Eles utilizaram cinco pares de hamsters por grupo, cada um dos quais produziram 7 a 8 ninhadas, totalizando 140 animais.
Surov disse ao jornal Voz da Rússia:

"Inicialmente, tudo correu bem. No entanto, percebemos um efeito bastante grave quando selecionamos novos pares de seus filhotes e continuamos a alimentá-los como antes. A taxa de crescimento destes pares foi mais lento e atingiram sua maturidade sexual lentamente."

Ele selecionou novos pares de cada grupo, o que gerou outras 39 ninhadas. 52 filhotes nascidos para o grupo de controle e 78 para o grupo se alimentando com soja não-trangênica. No grupo da soja transgênica, no entanto, nasceram apenas 40 filhotes. E destes, 25% morreram. Esta foi uma taxa de mortalidade cinco vezes maior do que os 5% observados entre o grupo de controle. Dos hamsters que comeram alto teor de soja trangênica, apenas uma única hamster fêmea deu à luz. Ela teve 16 filhotes, dos quais morreram cerca de 20%.
Surov disse: "O baixo número na F2 [terceira geração] mostrou que muitos animais eram estéreis."

O estudo a ser publicado também irá incluir medidas do tamanho do órgão para os animais de terceira geração, incluindo os testículos, baço, útero, etc. E se a equipe puder levantar fundos suficientes, eles também irão analisar os níveis de hormônio nas amostras de sangue coletadas.

Cabelo que cresce na boca

No início deste ano, Surov foi co-autor de um estudo em Ciências Biológicas Doklady mostrando que, em casos raros, cabelo crescia dentro de bolsas recuadas dentro da boca dos hamsters.
"Algumas dessas bolsas continham pêlos simples, outros, feixes grossos de pêlos incolor ou pigmentados, alcançando a superfície de mastigação dos dentes. Às vezes, a fileira de dentes foi cercada com uma escova de feixes de cabelo regular em ambos os lados. Os cabelos cresceram verticalmente e tinham pontas afiadas, muitas vezes cobertos com pedaços de mucosa ".
Conclusão do estudo, os autores supôem que este defeito pode ser devido à dieta dos hamsters criados em laboratório. Eles escrevem: "Esta patologia pode ser exacerbada por elementos do alimento que estão ausentes nos alimentos naturais, tais como geneticamente modificados (trangênicos) ingredientes (trangênica de soja ou farinha de milho) ou contaminantes (pesticidas, micotoxinas, metais pesados, etc.)". Na verdade, o número de hamsters com pelos na boca era muito maior entre a terceira geração de animais alimentados com soja trangênica do que em quaisquer que Surov tinha visto antes.
Estudos Preliminares , mas Assombrantes
Surov adverte contra conclusões iniciais. Ele disse: "É bastante possível que os trangênicos não causem esses efeitos por si só." Surov quer fazer a análise dos componentes alimentar uma prioridade, para descobrir exatamente o que está causando o efeito e como.
Além dos trangênicos, poderiam ser os contaminantes, disse ele, ou maior resíduos de herbicidas, como o Roundup (também da Monsanto). Há, de fato, níveis muito mais elevados de Roundup nestes grãos, eles são chamados de "Roundup Ready". Genes bacterianos são inseridos em seu DNA a fim de que as plantas possam tolerar o herbicida Roundup, da Monsanto. Portanto, a soja trangênica sempre carrega a ameaça dupla de maior teor de herbicida, juntamente com todos os efeitos secundários da engenharia genética.
Anos de Distúrbios Reprodutivos de Alimentos Trangênicos

Fonte:
http://www.huffingtonpost.com/jeffrey-smith/genetically-modified-soy_b_544575.html
http://www.responsibletechnology.org/



0 comentários: