SLIDE

Buraco azul revela o segredo dos maias

desktop-1419885647

O Grande Buraco Azul de Belize e a antiga civilização maia parecem ter pouco a ver um com o outro. No entanto, assim como tudo no nosso planeta, eles estão ligados de alguma forma, e os cientistas e historiadores chegaram mais perto de descobrir porque é que a civilização maia acabou por desaparecer graças ao Buraco Azul.

A civilização maia floresceu na América Central há mais de mil anos atrás, construindo cidades maciças. A cultura era conhecida pelos seus avanços matemáticos, científicos e tecnológicos, bem como pelas suas belas obras de arte. No entanto, depois de cerca de 800 dC, a civilização começou a encolher e entrar em declínio, e finalmente desapareceu por volta de 1100. O motivo, no entanto, permanecia um mistério… até agora.
desktop-1419888856
Chichen Itza, uma das principais cidades dos Maias.
Formado ao longo de dezenas de milhares de anos, o Grande Buraco Azul (uma enorme caverna circular em Belize) estava uma vez acima do solo. No entanto, foi preenchido quando o nível do mar subiu. Hoje, é um destino popular entre os mergulhadores e cientistas. Recentemente, foram retiradas amostras a partir da camada do fundo do buraco, a cerca de 125 metros de profundidade. O que descobriram deu alguma luz sobre o mistério maia.
desktop-14198856471
Assim como os anéis de uma árvore, camadas de sedimentos podem-nos dizer o que estava a acontecer quando se formaram. Elas podem revelar todo o tipo de mudanças climáticas e geológicas. Isto é feito através da análise do sedimento de certas proporções de minerais. No caso do Buraco Azul, os geólogos estavam à procura de titânio, que é encontrado na rocha vulcânica facilmente erodida da América Central e sul do México. As fortes chuvas fizeram a rocha partir-se e, eventualmente, ser levada para o oceano, e acabando por cair em buracos como o Buraco Azul. Entre 800 e 1100 AC, havia grandes secas, como ficou provado pela falta de titânio nas camadas de sedimentos.Estes foram também os séculos que marcaram o declínio e eventual colapso da civilização maia.
Buraco Azul visto através de satélite.
Buraco Azul visto através de satélite.
Devido a estas provas, os historiadores estão finalmente a começar a concordar que a seca, 
de facto, levou ao fim a civilização maia e ao abandono de suas cidades. A seca teria levado a outras questões, incluindo a fome e distúrbios civis. O declínio dos maias foi lento e gradual, mas sempre intrigou os historiadores. Agora, graças ao testemunho da própria Terra, nós sabemos o que aconteceu com os antigos maias.
http://portugalmundial.com/2015/02/buraco-azul-revela-o-segredo-dos-maias/

0 comentários: