SLIDE

Quem é Allah?

Muito antes de o Islã, os sabeus na Arábia adoravam um deus da lua, que também era conhecido asIlumquh. Ilumquh era casado tothe Sun Goddess Dhat Hamymand, teve três filhas a quem o povo daquela área começou a adorar. As três filhas foram chamadas de Allat, Al Uzza Andal Manat. Estas três divindades, se fundiram e formaram a tríade deusa tripla, como muitas outras deusas da Lua. Vamos examinar cada uma dessas divindades árabes antigas que formaram a Tríplice Deusa Allat e vamos ver o quanto podemos encontrar de coincidências com a religião do Islã. 

Por Trás da Mídia Mundial


O "Culto pré-islâmico da deusa parece estar associado principalmente com Al'Lat, que significa simplesmente" deusa ". Ela é uma deusa tríplice, similar à divindade lunar grega Kore / Demeter / Hecate. Cada aspecto dessa trindade corresponde a uma fase da lua da mesma forma Al'Lat tem três nomes conhecidos do início: Q're, a lua crescente ou a donzela; Al'Uzza, literalmente "o forte", que é a lua cheia e da mãe aspecto;. Al'Menat então, o declínio, mas deusa sábia do destino, profecia e adivinhação tradição islâmica continuam a reconhecer estes três nomes, mas os rotula "filhas de Deus '". 



Muhammad se dirigia a esses deuses como "A filha de Allah" e se referia a Hubal ( o mais alto ranking dos 360 deuses que trabalharam na Kabbah pela tribo de Quraysh) pelo Deus de Koran. Al'lat nas suas 3 formas foi influenciada por Banat, que eram as 3 filhas de Baal ( A deidade suprema dos cananeus ) e simbolizava a luz, a chuva e a Terra.
Agora, vamos examinar Allat, (que é uma Deusa Tríplice e é o mesmo que Al Uzza e Al Manat). 


Templo de Allat, Hatra, Patrimonio Mundial da Unesco no Iraque, Oriente Médio.
"Allat foi conhecida como a deusa da primavera e da fertilidade. Sob helenização Allat foi mais tarde identificada como a deusa  grego / romano Athena / Minerva, e às vezes com Afrodite ou Urania / Venus Caelestis. Inscrições citam Allat gama de Hegra na Arábia Saudita ser a Hauran na Síria. Eles incluem termos de reverência e adoração que durou até o período islâmico. Mesmo com a fundação do Islã, uma imagem de Allat, juntamente com um dos Al-'Uzza. " 
Vamos agora dar uma olhada em alguns aspectos peculiares da Afrodite a Deusa que é identificado com a Al-'Uzza: 



Por Trás da Mídia Mundial
Afrodite, Urana, sentada ao lado da lua crescente e da estrela no outro lado.



Pedra negra aniconica meteorito, venerada no Templo de Afrodite, perto de Paphos, Cyprus
"Cultos a meteoritos são comuns em civilizações greco-romanas. De acordo com o historiador de religiões Mircea Eliade, o Templo de Artemis (Diana) em Éfeso continha uma estátua de agachamento da deusa-mãe, esculpida em um meteorito que caiu de Júpiter (Atos 19 .:. 26-35) O Palladium de Troia e a pedra negra cônica ou (Baetyl) de Elagabal Emesa, Síria, acredita-se ser de origem meteórica. Da mesma forma, a deusa mãe frígio Cybele adorada em Pessinus (mais tarde Roma) foi um pedra;., sem dúvida, um meteorito. Um outro exemplo é o meteorito de Pessinunt na Frígia, que era adorado como "a agulha de Cibele," e trazido a Roma em uma poderosa procissão após a guerra púnica no parecer do oráculo de Delfos; lá o meteorito era adorado como uma deusa da fertilidade por mais 500 anos. "

http://portrasmidiamundial.blogspot.com.br/2015/01/quem-e-allah.html


Muhammad re-dedicando a rocha negra em Kabah na Meca
"O mais famoso de todos os fetiches de pedra da Arábia era, naturalmente, a pedra negra no santuário na Meca. A Caaba era, e ainda é, uma estrutura de pedra retangular. Construída em seu canto oriental é a pedra negra, que tinha sido objeto de culto para muitos, séculos antes Mohammed apropriou-se de Kabah para criar a sua nova religião, e fez da peregrinação a este lugar santo, um dos pilares do Islã "(Mohammed: O homem e sua fé, Tor Andrae, 1936, Traduzido por Theophil Menzel, 1960, p 13-30;. Britannica, Religiões árabes, 1059 p, 1979).. O "Hadschar al Aswad" na Caaba é o exemplo mais conhecido de adoração de meteorito em tempos mais recentes. Apesar da proibição de retratar Deus e adoração de objetos, os peregrinos que vão para a Meca beijar essa "Hadschar al Aswad" (pedra preta), que, de acordo com o profeta é "Yamin Allah" (a mão direita de Deus), supostamente entende que é um meteorito divino ou Bethel - pedra anterior a criação que caiu aos pés de Adão e Eva. Ele está atualmente incorporado no canto sudeste da Caaba. Muçulmanos tocam e beijam a pedra negra durante o Hajj. "

http://portrasmidiamundial.blogspot.com.br/2015/01/quem-e-allah.html



A Pedra negra na Meca é sem dúvida um traço do pré islâmico, lua das deusas sendo adorada.



Deidades de outras culturas que estão associadas com as rochas, incluindo Afrodite em Paphos, Cybele em Pessinus e mais tarde em Roma, Astarte em Byblos e a famosa Artemis/Diana de Efesus. As esculturas mais antigas eram ditas que vieram de um meteorito preto.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
“Todos os que me ouvem ousariam concordar comigo, se o medo não lhes fechasse a boca"

"O mais famoso de todos os fetiches de pedra da Arábia eram, naturalmente, a pedra negra no santuário de Meca. A Caaba era, e ainda é, uma estrutura de pedra retangular. Construída em seu canto oriental e é a pedra negra que tinha sido objeto de culto para muitos séculos antes de Mohammed apropriar-se da Kabah para levar a sua nova religião e fez a peregrinação a este lugar santo um dos pilares do Islã "(Mohammed: O homem e sua fé, Tor Andrae, 1936, Traduzido por Theophil Menzel, 1960, p 13-30;. Britannica, Religiões árabes, 1059 p, 1979).. O "Hadschar al Aswad" na Caaba é o exemplo mais conhecido de adoração a meteorito em tempos mais recentes. Apesar da proibição de retratar Deus e adoração de objetos, os peregrinos para Meca a beijam essa "Hadschar al Aswad" (pedra preta), que, de acordo com o profeta é "Yamin Allah" (a mão direita de Deus), supostamente um meteorito divino ou Bethel - pedra anterior a criação que caiu aos pés de Adão e Eva. Ele está atualmente incorporado no canto sudeste da Caaba. Muçulmanos tocam e beijam a pedra negra durante o Hajj. " 

Por Trás da Mídia Mundial



Luas crescente e os símbolos islâmicos das bandeiras árabes

Templo Antigo dedicado a Al- Uzza. Al - Uzza era deusa da guerra e da beleza e sua cor sagrada era verde, a cor do Isã;

O Simbolo Acacia e a Maçonaria
"O que é menos conhecido do que uma árvore de acácia, ou um conjunto de árvores de acácia, é o símbolo da Al-Uzza, uma deusa árabe que governa o nascimento, morte, casamento, guerra, raids, o Zodíaco, a mudança das estações, o curso de corpos celestes, e Venus como a estrela da manhã. verde, sua cor sagrada, foi adotada pelo Islã como sua cor favorita. Meteoritos, tais como, por exemplo, a pedra negra na Caaba ('cube »), são suas pedras sagradas. Al-Uzza recebeu ofertas de sangue, sacrifícios de humanos e animais. A acácia, como acabamos apontou, é a sua árvore sagrada. É sob uma árvore da acácia que os companheiros de Muhammad fizeram uma promessa de fidelidade (conhecido como Ba'ait al-Ridwan - "Garantia de boa vontade"). para ele um dia antes da assinatura do Tratado de Hudaibiya, um tratado que trouxe a vitória política do Islã em toda a Arábia "
"Acacia é um dos principais símbolos da maçonaria, como reconheceu em 'Moral e Dogma' por ninguém menos que Albert Pike (que plagiaram muitos de seus materiais a partir dos livros do mago francês, Eliphas Levi):" A Maçonaria ainda mantém entre os seus emblemas, um de uma mulher chorando sobre uma coluna quebrada, segurando na mão um ramo de acácia, murta, ou Tamargueira (...) "O ramo de acácia desempenha um papel central no terceiro ritual do grau maçonico;. um raminho de Acacia é às vezes colocados em sepulturas ou em caixões em funerais maçônicos, e também é visto no cordon Grau 14. Por uma questão de fato, no antigo Egito, a partir do qual a Maçonaria afirma ter pego emprestado uma grande parte do seu imaginário, o espinho de acácia foi concebido como um símbolo do nascimento e da morte da mãe deusa Neith. No Antigo Testamento, a partir do qual a Maçonaria também acrescenta à decoração de seus templos, sobre a Acacia, é dito ter sido usada na construção do Tabernáculo e da Arca da Aliança. Alguns maçons também afirmam que a coroa que Jesus Cristo usou em sua crucificação foi feita de espinhos de acácia e sua cruz feita de madeira de acácia, como parte de sua tentativa bizarra de "provar" que Jesus Cristo foi ele próprio um 'Famoso maçom'! "
-Rolph Klein, Grande Loja de Alberta AF & AM



Alguns símbolos maçons incluindo um Master avental, note que a acácia tem 3 ramos nas ilustrações, esses ramos são a arvore de acacia que era símbolo de Isis, que também é Al - Uzza ( Allah ), que era a virgem que deu a luz a Cristo, Isis é Semiramis, a rainha da Babilonia. 
A coluna quebrada denota a morte prematura de nosso Grande Mestre Hiram Abiff; a bela Virgin, chorando, denota um Templo, inacabada; o livro aberto à sua frente, suas virtudes não se encontram no registro perpétuo; o ramo de acácia na sua mão direita, é a descoberta oportuna de seu corpo; a urna a sua esquerda, significa que suas cinzas foram depositadas em segurança para perpetuar a memória de tão ilustre personagem; e hora em pé atrás dela desdobramento os cachos de seu cabelo indica que o tempo, paciência e perseverança irá realizar todas as coisas.
-Mestre Mason palestra iniciação
(Aqui é algo bastante interessante, Semiramis, a rainha da Babilônia se chamou a Virgem, embora ela tenha tido um filho chamado Tamuz, ela mais tarde se tornou Ishtar, Vênus, Afrodite, Al Uzzah etc. ela é a Maria que o culto dos católicos chamam de verdadeira Maria, mãe de Jesus Cristo, assim, vemos como Satanás enganando os maçons e no mundo, pensam que Semiramis é a mãe de Cristo, quando ela é realmente a mãe de Tammuz que ela afirma ser a reencarnação de Nimrod, seu marido, que Shem, filho de Noé morto)
A maçonaria ainda mantém entre seus emblemas um de uma mulher chorando sobre uma coluna quebrada, segurando na mão um ramo de acácia, murta, ou Tamargueira, enquanto o Time, diz-nos que ela está atrás penteando os cachos de seu cabelo. Nós não precisamos repetir a insípida e trivial explicação ...  desta representação de Isis, chorando em Byblos, sobre a coluna arrancada do palácio do Rei, que continha o corpo de Osíris, enquanto Horus, o Deus do Tempo, derrama ambrosia em seu cabelo.
Albert Pike maçom de 33 ° , "Moral e Dogma" página 379
(O que Albert Pike diz é que significa uma árvore brach de Acacia e é um símbolo de Ísis, que está ligada à Al-Uzzah)
"A cor verde tem um lugar especial no Islã. Ela é usada na decoração das mesquitas, as ligações de Alcorões, a seda cobrem os túmulos de santos sufis e as bandeiras de vários países muçulmanos. O verde tem sido associado ao Islã por muitos séculos. A cor verde foi a cor usada pela tribo de Maomé em suas bandeiras. Al Uzza (cuja cor era verde) sendo uma deusa da guerra e da beleza está também relacionada com a deusa Atena, que também está ligada à Deusa Afrodite, que é identificado com Allat. "


"Manawat (Al Manat) foi considerada a deusa do destino ou o destino. Sob helenização, Manawat foi associada com a Deusa grega / Roman Nemesis / Destino. Tal como acontece com Al Uzza, Manawat semelhante que não emerge de qualquer papel importante entre os nabateus , a julgar pelo número relativamente limitado com o qual ela foi invocada em inscrições antigas, seu maior domínio parece ter sido em torno de Hegra, embora, como Al-'Uzza, sobreviveu até a chegada do Islã. Sua imagem não aparece entre os ídolos pré -Islamico na Meca, no entanto, e ela pode nunca ter sido representada lá."



Al_manat estava associada com a deusa grega, Nemesis, que é a mesma que está linkada a Cybele, Artemis e Demetrio

A origem de Allat a tripla deusa é  Semiramis, note a lua crescente mais tarde como Ishtar
"O pecado é também o progenitor da antiga árabe Deusa Al- Llah, que como El significa simplesmente Deus, que ainda é representado pela lua crescente. Já foi notado que a estrela crescente do Islã é prefigurado tanto na cunhagem de Harran e da relação simbólica entre a lua crescente do pecado e da estrela da noite de Ishtar, visto também entre os sabeus. "


Sin é também Ishtar, que é também reconhecida como Semiramis, mãe de Tammuz que também é Isis.



Allat a lua tripla, a deusa é Astarte que também é Semiramis, que era mulher de Nimrod, rainha da Babilonia, A virgem catolica não é Maria.

Hubal chefe, o ídolo da Mecca esta linkado a Baal também conhecido como Tammuz.


Como conhecemos os ídolos adorados e espíritos achados em animais, plantas, pedrase água, os árabes antigos acreditavam em deuses e deusas maiores que consideravam que tinham um poder supremo sobre todas as coisas. O mais famoso desses deuses era, Al-lat, Al-Uzza, Manat e Hubal. O primeiro dos três pensaram ser filhas de Allah ( Deus )e suas inteceções na cença desses ídolos, foi mais tarde de total significancia. Hubal estava associado com o Semitico Ba'al e Adonis ou Tammuz, o deus da primavera e da fertilidade, agricultura e abundância.




Hubal o deus da Lua da Mecca é Baal. Baal é Tammuz, filho de Semiramis que Semiramis dizia ser Nmrod reencarnado. Tammuz é um falso cristo.
Um dos falsos messias do Islã, o Mahdi, se encaixa na descrição do Anti-Cristo do Apocalipse, que governará por 7 anos.
isso é de acordo com a wikipedia
Abu Dawud também relatou um hadith sobre o Mahdi que o profeta Maomé disse: 
O Mahdi será de meu estoque, e terá uma testa larga, nariz proeminente. Ele vai encher a terra com equidade e justiça, uma vez que estava cheio de opressão e tirania, e ele vai governar durante sete anos. 



O Domo de pedra no Templo de Jerusalém é um Octágono de 8 lados, a única forma que coube dentro do oxágono/8 lados da estrela.


Os sumérios usaram um arranjo de linhas como símbolos para ambas estrelas e deus.
A linear de 8 pontas, representava a deusa Inanna, sumeria, rainha dos céus e Istar ( Astarte ), a da Babilônia conhecida como, " Aquela que traz a Luz". Uma estrela de 8 pontas fechada com um círculo, era o símbolo do deus do Sol. A "Estrela babilônica" tem como arquétipo a subsequente astrologia" de origem e entendimento sobre a estrela de 8 pontas.

Muitas representações de Ishtar, repare que os 8 lados da estrela na sua cabeça, estão apontadas como no tarô, retrata Venis, que está linkada a Ishtar. Os 8 lados da estrela, é o símbolo de Ishtar.



Pela idade média, a estrela de 8 pontas, é largamente usada como um símbolo na arte islamica. É chamada de Khatim ou Khatim selo sulayaman dos profetas, como um anel de sinete. A frase "selo dos profetas" é também usado no Alcorão e tem uma ideologia particular que significa, muçulmanos.
Artesanatos marroquinos também se referem a estrela de 8 pontas como sibniyyah, sabniyyah, que é um dericado do numero 7 sab'ah.

O Octagrama, uma estrela de 8 pontas é também conhecida como a "estrela do caos". Ordo Av Chaos ( do caos nasce a ordem ) é um ditado maçom da Nova Ordem Mundial. Aqui temos alguns símbolos.
Cruz Maltesa, uma das estrelas de Isis e dos templários.



Note que o logo maçon no senhor da direita a Yasser Arafat

Há também uma filial da Maçonaria chamada, O Shriners, que fazem um juramento para o deus da lua Alá, aqui é uma cópia do juramento, bem como suas insígnias:
"Os candidatos para a indução no Shriners são recebidos por um Sumo Sacerdote, que diz:
"Pela existência de Allah e do credo de Maomé; pela santidade lendária do nosso Tabernáculo na Meca, nós o recebemos. "
Os homenageados então jurando sobre a Bíblia e o Corão, em nome de Mohammed, e invocam sanções terríveis habituais da Maçonaria sobre si:
"Eu faço aqui, sobre esta Bíblia, e sobre a lenda misteriosa do Corão e sua dedicação à fé muçulmana, prometo e juro e juro ... que eu nunca vou revelar qualquer parte secreta ou qualquer parte das cerimônias ... e agora em cima este livro sagrado, pela sinceridade de juramento de um muçulmano eu aqui registro esta promessa irrevogável ... em violação dolosa de que posso incorrer na pena do medo de ter meus olhos perfurados a partir do centro com uma lâmina de três gumes, meus pés esfolados e eu ser forçado a andar pelas areias quentes em cima das costas estéreis do Mar Vermelho até o sol flamejante deve me atacar com praga lívido e Allah, o deus do árabe, muçulmano e muçulmana, o Deus de nossos pais, apoiam-me a todo o cumprimento do mesmo. Amém. Amém. Amém. "
Com este juramento, os cristãos juram sobre o Corão, e declaram que Allah é "o Deus de nossos pais." Do ponto de vista do cristianismo e do islamismo, Shriners tomam o nome de Deus em vão, e simulações de ambas as fés ".
Trecho de As Origens ea influência da Maçonaria 
por Lee Penn, SCP Journal Vol. 25: 2-25: 3 2001 
P0 Box 4308, Berkeley, CA 94704



Insignia Sshriner - Chapéu de um shriner maçon


No século 8, hordas muçulmanas invadiram a cidade marroquina de Fez e massacraram 50.000 cristãos. Dass ruas correu vermelho  sangue. Os assassinos muçulmanos mergulharam seus tampões no sangue em honra de Alá. Estas tampas manchadas de sangue foram chamadas, fezzes, ídolos dedicados a um falso deus, Alá.

John Edgar Hoover ( 1 de janeiro de 1895 - 2 de Maio de 1972) foi o primeiro diretor do FBI nos EUA. J. Edgar Hoover também era muçulmano e shirner maçom.



O hexagrama ou estrela de 6 pontas pe o simbolo antido Rempha que também é conhecido como Chuin, que também é conhecido como Moloch que é outra representação de Nimrod, marido de Semiramis, rainha da Babilônia. O simbolo não é judeu, os Rothschilds que eram os cavaleiros papais de Malta, colocaram na bandeira de Israel mesmo os judeus serem opostos a isso.



Kabah Allah ou Cubo de Deus, representa Saturno e sua cor preta. Chuin é Rempha que é Moloch que é Saturno que é Satan


Desde os dias de Mohammad, o islã tem sido a espada do Vaticano e o culto a morte e intolerância às outras pessoas


Nessa imagiem, ve-se como um homem é decapitado enquanto Mohammad assite sentado em seu trono.




 Fonte:
http://mysterybabylon-watch.blogspot.co.uk/2011/07/who-is-allah.html


0 comentários: