SLIDE

PROJETO SECRETO LANÇADO NA ÁFRICA DO SUL NA DÉCADA DE 1980 : ARMA BIOLÓGICA EBOLA

Vírus Ebola: Origem do projeto militar
O projeto secreto de desenvolvimento militar do vírus Ebola foi lançado na Africa do Sul na década de 80. Será que este vírus atual foi lançado deliberadamente?

Durante a época do aparthaid nos anos de 1980, o DR. Woter Basson lançou na África do Sul um projeto de armas biológicas secretas chamadas de "Project Coast", recorda o portal de investigação independente Old-Thinker News, e seu autor , Daniel Taylor. 
O objetivo do projeto foi o desenvolvimento de agentes biológicos e químicos que matar ou esterilizar a população negra e assassinar inimigos políticos. Entre os agentes foram desenvolvidos vírus Marburg e Ebola. 
Falsa bandeira 101: o projeto secreto CRIADO weaponized EBOLA EXPOSTO
Tradução: Adrien Marinho
De acordo com um artigo publicado em 2001 para a revista "The New Yorker", a embaixada dos Estados Unidos em Pretória se mostrou "terrivelmente preocupada" com a possibilidade de que Basson revelasse as profundas conexões entre o "Project Coast" e os Estados Unidos.

Ébola: o Project Coast

Nos anos 80, o sistema de apartheid foi ameaçado na África do Sul. O regime lançou um programa secreto de pesquisa biológica e química chamada Projeto Costa . Seu objetivo era produzir substâncias letais etnicamente seletivas, para reduzir a população negra. Não se sabe quantas pessoas morreram nesses experimentos. A figura de vários milhares é avançado. O diretor do projeto, Dr. Wouter Basson foi absolvido em um julgamento controverso no dia 12 abril de 2002 . Hoje, o escândalo salpicos Suíça teria colaborado na pesquisa de "Doutor Morte" . Parece, aliás, que para contornar o tratado de não-proliferação de armas de destruição em massa, muitas democracias têm sido a terceirização suas pesquisas pelo regime do apartheid.
Basson é cercada por capa e espada intriga, como disse  Pretoria alta tribunal na África do Sul  que "O agente local da CIA em Pretória me ameaçado de morte na calçada da embaixada americana em Schoeman Street." De acordo com um  artigo de 2001 no The New revista Yorker , a embaixada americana em Pretória estava "terrivelmente preocupada" que Basson iria revelar conexões profundas entre o Project Coast e nos Estados Unidos.
Em 2013, Basson  foi considerado culpado  de "conduta não profissional" pelo Conselho de Saúde Sul-Africano.
Especialista em armas biológicas Jeanne Guillemin escreveu em seu livro Armas Biológicas : desde a invenção de um programa patrocinado pelo Estado para Bioterrorismo Contemporâneo  "o projeto anos de crescimento 's foram de 1982 a 1987, quando se desenvolveu uma gama de agentes biológicos (tais como os de antraz , cólera e os vírus Marburg e Ebola e de toxina botulínica) ... "

O program de armas biológicas de Basson terminou oficialmete em 1994, mas nunca se produziu nenhuma verificação independente para saber se os patógenos criados foram em algum momento destruídos. Segundo o The Wall Street Journal  " a integridade do processo recaia exclusivamente sobre a honestidade do Dr. Basson". 


Basson afirma ter mantido contato com as agências ocidentais que proporcionavam a ele "assistência ideológica" no Project Coast. 

Basson disse em uma entrevista para o documentário "Guerra de Antrax" que se reuniu várias vezes com o Dr. David Kelly, o famoso inspetor de armas da ONU no Iraque. Kelly, que um especialista em armas biológicas no Reino Unido, foi encontrado morto próximo de sua casa em Oxfordshire em 2003. Segundo a versão oficial ele cometeu suicídio, mas esta afirmação foi contestada por médicos especialistas. 


Em um artigo publicado em 2007 no Mail Online, se informava que uma semana antes de sua morte, o Dr. Kelly ia ser interrogado pelo serviço de contra-espionagem britânico MI5 sobre seu vínculo com o Dr. Basson. 

Dr. Timothy Stamps, Ministro da Saúde do Zimbabwe, suspeita que o seu país estava sob ataque biológico durante o tempo que Basson estava operando. Selos  disse PBS Frontline  em 1998, que "A prova é muito clara, que estes não eram eventos naturais. Se eles foram causados ​​por algum inoculação direta ou deliberada ou não, é a pergunta que temos de responder. "
Selos nomeou especificamente os vírus Ebola e Marburg como suspeito. Ele acha que seu país estava sendo usado como um campo de testes para weaponized Ebola.
"Eu estou falando sobre o antraz e a cólera em particular, mas também um par de vírus que não são endêmicas no Zimbabwe [como] o vírus tipo Ebola e, pensamos, também, o vírus Marburg. Gostaríamos de saber se de fato estes não estão associados com a guerra biológica contra este país durante as hostilidades ... Ebola foi ao longo da linha do Zambeze [Rio], e eu suspeito que isso pode ter sido uma experiência para ver se um novo vírus pudesse ser usado para infectar diretamente as pessoas. "
O ganês Tempos  relatado no início de setembro, sobre o recente surto de Ebola, observando as conexões entre Basson e armas biológicas . O artigo aponta que, "... existem dois tipos de cientistas no mundo: aqueles que estão tão preocupados com as dores e a morte causadas ​​aos seres humanos por doenças, que eles vão mesmo sacrificar suas próprias vidas para acharem a curar, e aqueles que vão usar suas habilidade científica para matar seres humanos sobre as ordens do governo ... ... "
Na verdade, essas idéias não são novas. Platão escreveu há 2.000 anos atrás, em sua República que uma elite dominante deveria orientar a sociedade, "... cujo objectivo será o de preservar a média da população." Ele afirmou ainda: "Há muitas outras coisas que terão de considerar, como como os efeitos de guerras e doenças e quaisquer agências semelhantes, em fim, tanto quanto isso é possível para evitar que o Estado se torne muito grande ou muito pequeno. "

Também conhecido como Macfarlane ou Mac Burnet, foi um médico virologista australiano conhecido por suas contribuições no estudo da imunologia.
Austrália não é conhecida por ter ou possuir armas de destruição em massa, embora tenha participado em uma extensa pesquisa sobre armas nuclearesbiológicasquímicas no passado.
Austrália preside o Grupo Austrália, um grupo informal de países que procuram minimizar o risco de apoiar a proliferação de armas biológicas e químicas. Todos os Estados participantes do Grupo Austrália participam da Convenção sobre as Armas Químicas e a Convenção sobre as Armas Biológicas e apoiam firmemente os esforços sob as Convenções para livrar o mundo de armas químicas e biológicas.1 Tal como acontece com as armas químicas e biológicas, a Austrália não possui armas nucleares e é de modo nenhum conhecida por estar tentando desenvolvê-las.
Como revelado pelo The Age , Microbiologista australiano Sir Macfarlane Burnet prêmio Nobel pediu secretamente ao governo australiano em 1947 para desenvolver armas biológicas para uso contra os "países superpovoados do Sudeste da Ásia." Em uma reunião de 1947  o grupo recomendou que "as possibilidades de um ataque aos suprimentos de comida do sudeste asiático e da Indonésia, utilizando agentes de BW deve ser considerado por um pequeno grupo de estudo." 
Esta informação dá-nos uma perspectiva interessante sobre o recente surto de Ebola sem precedentes. É um fenômeno natural orgânico? Será que esta estirpe do vírus Ebola escapar acidentalmente de um laboratório de armas biológicas? Ou, foi deliberadamente lançado?
Este post apareceu pela primeira vez em Old-pensador Notícias . 


Permitida a reprodução desde que mantenha as fontes.

http://www.secretsofthefed.com/false-flag-101-the-secret-project-created-weaponized-ebola-exposed/
http://www.infowars.com/secret-project-created-weaponized-ebola-in-south-africa-in-the-1980s/
http://www.oldthinkernews.com/2014/10/19/secret-project-created-weaponized-ebola-in-south-africa-in-the-1980s/





0 comentários: