SLIDE

Irã enforca mulher condenada por assassinar suposto estuprador



O Irã executou uma mulher de 26 anos por assassínio de um homem depois de uma campanha internacional para que Reyhaneh Jabbari, presa em 2007, fosse poupada.

Jabbari confessou ter dado uma faca nas costas de Morteza Abdolali Sarbandi, antigo empregado do Ministério da Informação, que a teria atacado tentando abusar sexualmente dela.

Ahmed Shaheed, relator de direitos humanos para o Irão, disse que o ataque foi em autodefesa. Sarbandi tinha-se oferecido para contratar Jabbari, designer de interiores, para remodelar o seu escritório e levou-a para um apartamento onde tentou abusar sexualmente dela.


Segundo Jabbari, havia um outro homem em casa e este teria morto Sarbandi. A Amnistia Internacional, que lançou uma campanha pedindo clemência, diz que a investigação do caso, e o julgamento em 2009, foram marcados por falhas enormes e que a presença do segundo homem na casa não tinha sido investigada.

“Tragicamente, este caso está longe de ser raro”, reagiu Hassiba Hadj Sahraoui, responsável da Amnistia Internacional para o Médio Oriente. “Mais uma vez o Irão insistiu em aplicar a pena de morte apesar de grandes reservas em relação ao processo”.

Segundo a ONU, desde o início de 2014 foram executadas mais de 250 pessoas no Irão.

A campanha para uma repetição do julgamento de Jabbari foi feita tanto por organizações internacionais como pela Amnistia, e também por personalidades iranianas, incluindo vários actores.

A sua execução, marcada para 30 de Setembro, foi inicialmente adiada. Na sexta-feira, a mãe de Jabbari pôde visitá-la durante uma hora, algo que geralmente precede as execuções no Irão.

Na madrugada deste sábado, Jabbari foi enforcada. “Descansa em paz”, dizia uma mensagem na página da campanha a favor de Jabbari no Facebook.
http://ofimdomundo.com.br/ira-enforca-mulher-condenada-por-assassinar-suposto-estuprador-reuters-brasil/
 http://www.publico.pt/mundo/noticia/irao-executa-condenada-por-assassinar-homem-que-a-tentou-violar-1674121


0 comentários: