SLIDE

8 Razões Porque os Rothschild Odeiam a Síria (Syrian Girl)

Religião - 8 Razões Porque os Rothschild Odeiam a Síria (Syrian Girl)

Conhecida em Internet como "Syrian Girl" e "Syrian Girl Partisan", PartisanGirl é uma jovem mulher síria, inteligente e eloquente, que realiza do seu país,Síria, uma análise realista dos acontecimentos mundiais e do avanço sionista. Mediante o uso de diversas redes sociais, tais como YouTube, Facebook e Twitter, ela denuncia os principais "atores" envolvidos nessa manobra criminosa que ameaça toda a humanidade. A jovem síria denuncia a hipocrisia da farsa da "intervenção humanitária" e a real intenção e agenda que inclui a tentativa de derrubada do governo sírio chefiado pelo presidente Bashar al-Asad e a Frente Nacional Progressista. 

"Gostaria que vocês entendessem porque  motivos os promotores da Nova Ordem Mundial odeiam Síria", declara no vídeo a seguir apresentado. Contudo, motivos idênticos são possivelmente aplicáveis para Irã e Coreia do Norte, tal como também foram para Líbia.

A denominada Nova Ordem Mundial, Sionismo, ou Estado Policial global, consiste num plano para submeter todas as nações do mundo sob a tutela dum governo único totalitário controlado por banqueiros judeus sionistas. Algumas pessoas discutem sobre como se desenvolve esta agenda, apoiada pelo CFR, ONUOTANBilderberg e o G8, liderados pela mafia bancária da família Rothschild, incluindo os governos fantoches de Inglaterra, Estados Unidos e Israel, principalmente, com os seus Bancos Centrais e "reservas federais", mas muitas pessoas sabem, sem a mínima margem de dúvidas, que a "Nova Ordem Mundial" significa o fim da liberdade e dos Direitos Humanos a nível planetário.


1) "Dêem-me o controle do dinheiro e não me importa quem faça as leis"– Mayer Amschel Bauer Rothschild.

Síria, Irã e Coreia do Norte sempre se opuseram à Nova Ordem Mundial. Estes países nunca tiveram um Banco Central controlado pela família Rothschild. Um banco central obediente aos Rothschild é um banco cooptado pela família sionista Rothschild, a família mais rica e poderosa do planeta, que influencia todas as entidades reguladoras financeiras, políticas, de saúde, bélicas, e os 4 maiores distribuidores mundiais de "informação". Os globalistas impõem sucursais bancárias dos Rothschild substituindo os bancos originais, para destruir as repúblicas, convertendo os bancos regionais em "Bancos Internacionais". Estas entidades decidem quanto dinheiro "merece" um país e o valor da dívida que se deve atribuir a cada país. Por exemplo, na Líbia, imediatamente após o massacre "humanitário" da OTAN, uma das primeiras medidas tomadas foi converter o seu banco central num banco internacional sob controle da família Rothschild.

2) FMI

Outra forma da Síria, Irã e Coreia do Norte resistirem à Nova Ordem Mundial é recusando-se a pedir empréstimos ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

Antes do início da crise desenhada pelos Rothschild, a Síria era um país totalmente isento de dívidas. Se alguma vez pediu emprestado não foi ao FMI. A ajuda foi solicitada a aliados de confiança, como a Rússia. A primeira coisa que fez o ex-presidente Morsi do Egipto quando chegou ao poder foi endividar a sua nação pedindo 4 bilhões de dólares ao FMI, apesar de se proclamar muçulmano e sabendo que o Islã condena as dívidas e interesses bancários (usura). Uma vez que a Síria não deve dinheiro às potências mundiais e o seu banco é livre do domínio estrangeiro, é capaz de eleger a sua própria política externa. Este é o motivo por que a Síria pode se opôr ao sionismo imperialista, tal como Palestina, Líbia (antes da invasão), Irã, Coreia do Norte e Iraque (antes da invasão).

3) Monsanto odeia a proibição de alimentos geneticamente modificados

A Síria jamais permitiu a "comida" transgênica e recentemente formalizou a sua posição mediante uma lei. Empresas como Monsanto, Bayer, Nestlé e Syngenta, especulam e impulsam a guerra, perseguindo benefícios financeiros e patentes sobre a vida. Quando o Iraque foi invadido, uma das primeiras medidas tomadas por Paul Bremer foi alterar a Constituição iraquiana para penalizar os agricultores que guardavam as suas próprias sementes obrigando-os a comprar as sementes geneticamente modificadas de Monsanto. As sementes transgênicas são ineficazes e custosas; a Monsanto promete melhores colheitas mas muitos dos seus clientes, agricultores da Índia sofreram astronômicas perdas financeiras e se suicidaram por não disporem do dinheiro necessário para comprar novas sementes da Monsanto e por não terem podido guardar as suas próprias sementes orgânicas, em conformidade com os sinistros contratos da corporação. Como resultado, a fome invadiu a Índia. O controle do fornecimento de alimentos é outro ponto da agenda dos promotores da Nova Ordem Mundial para manter os países oprimidos sob controle do Governo Mundial. Síria, Irã e Coreia do Norte resistem a estas manobras.

4) Imprensa livre

Os meios de comunicação sírios, iranianos e da Coreia do Norte, não ocultam informação sobre os planos sionistas e as "sociedades secretas" que apoiam a imposição da Nova Ordem Mundial. Na Síria discute-se com liberdade estes assuntos porque os meios não foram cooptados. Por exemplo, as mídia destas nações livres não mentem às pessoas ocultando que dois candidatos à presidência dos Estados Unidos, Obama e Romney, foram manipulados e obedecem à mesma mafia bancária, não mentem sobre os alimentos transgênicos, não mentem sobre as perigosas vacinas da ONU e do seu braço criminoso chamado Organização Mundial da Saúde (OMS), não mentem sobre o Holocausto judeu, nem mentem sobre os mercenários da CIA, Mossad e do MI6 (serviço secreto britãnico), que são enviados a outros países para cumprirem o "papel" de "rebeldes" e mais tarde justificar (com a conivência da Associated Press, BBC e Reuters) os "massacres humanitários" da OTAN.

5) Recursos naturais

Os recursos naturais como o Petróleo são outra razão que motiva os Rothschild e seu G8. Mediante a OTAN tentam colocar todas as nações de joelhos para as saquear. Por este motivo, países como Síria e Irã são seus alvos. A Síria descobriu recentemente gás no seu litoral e começou a construir um gasoduto e oleoduto para o transportar através do Irã, Iraque e Síria até Europa. Esta oferta rivalizaria com o oleoducto BTC de Israel. Os Rothschild e a sua Nova Ordem Mundial, necessitam o BTC de Israel para centralizar o fluxo de energia entre Europa, Ásia e África. Deste modo "podem fechar a torneira" quando queiram ter os governos à sua disposição. A tentativa da Síria de oferecer ao mundo uma rota alternativa de petróleo e de gás poderia ter libertado as nações, criando um obstáculo para os planos sionistas.

A Syrian Girl declara: "Falei disto com detalhe; a Síria é um dos últimos países que ainda não reconhecem o Estado ilegal de Israel e que resiste à agenda sionista". Esta é uma das principais razões pelas quais os Rothschild e a sua Nova Ordem Mundial, consideram a Síria como um obstáculo para os seus planos, "e este ponto requer um vídeo específico".

6) Religião: dividir e conquistar.

Os Rothschild odeiam a Síria por ser um país laico no Médio Oriente. Um Estado laico ou Estado secular chama-se o Estado, e consequentemente a uma nação ou país, independente de qualquer organização ou confissão religiosa ou de toda religião e em que as autoridades políticas não aderem publicamente a nenhuma determinada religião, nem as crenças religiosas têm influência na política nacional. Afeganistão, Líbia, Iraque e grande parte do norte de África foram nações seculares antes das invasões norte-americanas. Depois da Primavera Árabe e do bombardeio de Líbia pela OTAN, foi imposto um governo extremista wahabista. Recentemente, Egito converteu-se numa nação da Irmandade Muçulmana, outra teocracia", afirma Syrian Girl.

Em Israel reina a teocracia extremista e racista (anti-semita) judaica, por isso assassinam diariamente semitas palestinos.

"A Síria é realmente o último país secular do Médio Oriente. Na  Síria, sugerir a alguém qual deve ser a sua religião é considerado um insulto e se um estranho te pergunta o que você é, não podes evitar de se sentir um pouco na defensiva", pelo que, a resposta comum é "Eu sou síria/o." Todas as principais religiões vivem em paz há centenas de anos na Síria, com total liberdade de culto. "Dividir e conquistar é uma estratégia que as potências do mundo usam para controlar as nações e a unidade de Síria foi uma maneira de resistir a isso", explica Syrian Girl.

7) A Síria tem uma forte identidade nacional e cultural.

Qualquer pessoa que viaje pelo mundo sabe que as mesmas marcas, negócios e inclusive muitos traços culturais foram impostos em quase todos os países. Coca Cola, McDonald’s, dias festivos, etc. É possível encontrar a mesma peça de vestuário numa loja de Dubai ou num estabelecimento francês. Isto não acontece na Síria.

A Síria é original e mantém a sua própria produção. Coca-Cola e outras empresas estrangeiras estiveram proibidas em Síria, mas há alguns anos que o atual presidente as legalizou, o que foi um grave erro. A Síria possuí a sua própria companhia de refrigerantes, que eram deliciosos, mas esta fábrica teve que fechar quando a Coca-Cola foi admitida.

Contudo, apesar da abertura econômica de Síria, o consumo de produtos estrangeiros é pouco aceito pela sociedade. "E creio que esta é uma das razões pelas quais a Nova Ordem Mundial odeia o meu país", diz Syrian Girl. "Siria é um dos últimos países que mantêm a sua originalidade e identidade e creio que existe uma clara agenda mundial para homogeneizar, destruindo qualquer diferença para criar o governo planetário". "Que mundo aborrecido seria!"

8) Os Rothschild odeiam Síria porque é livre.

Os falsos rebeldes da CIA, Mossad e do MI6 gritam "Síria livre!" quando o que realmente pretendem é escravizar o país.

Se a Síria, Irã e Coreia do Norte caírem, será um ponto de inflexão que terminará numa vitória para o sionismo e a sua Nova Ordem Mundial totalitária, tal como Stalingrado foi um ponto de inflexão entre Alemanha e Rússia durante a Segunda Guerra Mundial.

A Síria resiste, apesar de ter contra si o poder massivo da ONU, OTAN, bancos e corporações. A Síria resiste não só para ela mas para todas as pessoas livres.

"Como declarei anteriormente, a Síria é a linha da frente contra a Nova Ordem Mundial. Por isso todos devem lutar connosco até ao final", afirma Syrian Girl.

http://bwnargentina.blogspot.pt/2013/06/por-que-los-rothschild-sionismo-o-nuevo.html

0 comentários: